INGREDIENTE PRINCIPAL DESTA PANELA

Minha foto
A gastronomia na visão de um chefe de cozinha mergulhado diariamente no mundo dos sabores!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

CARURU DE COSME E DAMIÃO

ATENÇÃO - Não esqueçam de ler a promoção do "post"- PROMOÇÃO  - QUEM QUER GANHAR UM ALMOÇO OU JANTAR NO RIO DE JANEIRO?

Hoje é aniversário da minha mãe é uma data muito especial pois lembra muito a minha infância.



Hoje também é dia de “Cosme e Damião”,



Quem nunca correu atrás de doces na rua???



Nossa, lembro as filas enormes nais quais eu e minhas irmãs ficávamos para ganhar saquinhos de doces, depois guardávamos tudo em latas pela semana inteira, poxa!!! que tempo feliz..



Essas crianças de hoje não sabem o que é isso. E independe de cultura ou religião, pois quando somos pequenos não ligamos para isto, apenas queremos ser felizes.








Correr, brincar... se divertir..
Existia até competição para ver quem conseguia mais saquinhos de doces !!!!! muito bom!








"São Cosme e São Damião são santos católicos com grande receptividade entre as camadas afro-brasileiras do Recôncavo baiano. Seus nomes de batismo são Acta e Passio, nascidos na Arábia do século III, de família nobre e cristã. Os irmãos gêmeos estudaram medicina na Síria e exerciam a profissão gratuitamente. Acusados de feitiçaria, por realizarem milagres, foram jogados de um despenhadeiro – Assim conta a história. Em outras versões ouve-se que tentaram matá-los de várias formas, mas não conseguiram. Por fim foram degolados. Entre seus milagres estão a cura e a materialização (após a morte) para ajudar crianças vítimas de violência."
Grande também é o número de lares baianos que festejam o grande dia dedicado aos dois mártires da Igreja. Tão populares como São João, como Santo Antônio, os dois santos têm a sua festa comemorada sobretudo com um grande almoço, o caruru dos santos
Nas proximidades do dia 27 de setembro, é comum encontrar, pelas ruas da Bahia, crianças, adultos, a espera de um prato de caruru, aliás, na Bahia, não se diz São Cosme e São Damião e sim São Cosme e Damião. A dupla imagem de madeira ou uma simples gravura emoldurada é exposta numa caixa enfeitada em papel de seda colorido, envolta em fitas e cheia de flores, rosas ou flores de laranjeira, muitas vezes para o caruru dos santos. Não se pode comemorar santos tão populares nos lares baianos sem que se peça esmola para a missa.


Os devotos de São Cosme e Damião costumam “dar Caruru de Cosminho” em suas casas durante o mês de setembro e principalmente no seu dia 27 de setembro. A festa já começa durante os preparativos e mexe com todo o comércio de feiras em Salvador, quando se tem uma procura maior dos ingredientes para a grande festa e quando a família se reúne para cortar os quiabos em forma de cruz e depois em extreitas rodelas, preparar os temperos, torrar e triturar o amendoim e a castanha, temperar a galinha e fazer os seus pedidos também. A quantidade de quiabo do caruru, geralmente chega aos milhares, a depender da promessa, devem ser cortados por quem está oferecendo, mas vale a ajuda de participantes voluntários que também fazem a sua reza e pedidos aos santos gêmeos.


Vale tudo para se fartar de uma prato de caruru: pode-se ir às ruas, sem a menor cerimônia, e esperar que pessoas simplesmente ofereçam as quentinhas do farto prato ou pode-se ir até a casa de familiares e amigos durante o período do mês de setembro para prestigiar os santos e saborear as iguarias afro-baianas.


No candomblé Cosme e Damião são filhos gêmeos de Xangô e Iansã. Os santos gêmeos possuem muitos simpatizantes e devotos, estes que todo ano fazem caruru para eles, chamado também de “Caruru dos Santos” e “Caruru dos sete meninos” que representam os sete irmãos (Cosme, Damião, Dou, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi) cita em seu livro “Cosme e Damião, O culto dos santos gêmeos no Brasil e na África” por Vivaldo da Costa Lima.

Em casa em que haja gêmeos: ou que os santos tenham evitado partos gêmeos. Ou que promovam a festa como tradição de família. Nenhum dia melhor para se saborear um grande almoço da cozinha baiana do que o 27 de setembro.

Em casa onde existam Cosme e Damião, não entra epidemia, porque eles foram sempre considerados advogados contra “feitiços, bruxarias, mau olhado e espinhela caída”. Isso quanto às origens européias da devoção. No que se refere ao ramo africano, sabe-se que foram os nagôs que nos trouxeram os seus gêmos, Ibeji, transformados numa das maiores tradições vivas das populações baianas, especialmente. Nas casas de famílias católicas, suas imagens são comumente encontradas, em oratórios, pequenos altares ou simples prateleiras reservadas. No seu dia, estes pequenos altares tem desde de simples velas acesas, a oferendas como mel, caruru, balas e farofas de azeite. É comum também, distribuir pequenos saquinhos recheados de doces, balas e brinquedos as crianças nas ruas das cidades brasileiras.

De origem Africana, a comida baiana se revela na festa de São Cosme e São Damião

Manjar de Cosminho, não é mãe?
Os primeiros a serem servidos são os donos da festa: São Cosme e São Damião. As oferendas são precisamente colocadas no altar decorado para a ocasião Procedida a cerimônia, chamam-se os sete meninos, especialmente convidados para iniciar a comilança. A tradição manda que se prepare uma roda de sete meninos. Geralmente é colocada uma toalha de mesa no chão e as crianças se sentam ao redor. Eles geralmente sentam-se no chão e comem em pequenos pratinhos de barro, ou em um único grande prato como uma bacia. Não usam talheres, usam as mãos. Mas algumas mudanças já ocorrem em torno da tradição do Caruru de cosminho como misturar meninos e meninas, comer com talheres; ao final eles levantam-se e juntos cantam a música de Cosminho juntos com os outros convidados da festa.

"São Cosme mandou fazer
A sua camisa azul
No dia da festa dele
São Cosme quer Caruru
Vadeia Cosme, vadeia!
Vadeia Cosme, vadeia!”

“Cosme e Damião
Vêm comer teu Caruru
Que é de todo ano
Fazer Caruru pra tu
Vem cá, vem cá, Dois-dois
Vem cá, vem cá, Dois-dois

Mercado Modelo
Os apreciadores da festa e do farto prato típico têm lugar certo para comê-lo gratuitamente no seu grande dia de festejo: Caruru dos Sete Poetas, Mercado das Sete Portas, Instituto de Artesanato Mauá, Mercado de Santa Bárbara, Mercado Modelo.



Padroeiro dos farmacêuticos, médicos, babeiros e cabeleireiros, São Cosme e Damião protege as crianças, os orfanatos, creches, as doceiras, filhos em casa, além de proteger contra doenças como a hérnia e a peste. Os emblemas dos santos são caixa com ungüentos, frasco de remédios, folha de palmeira.



Por que sete meninos são convidados de honra para o almoço de Cosme e Damião?



Havia sete irmãos: Cosme, Damião, Doú, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi, todos mabaças, e é por isso que se torna necessário dar o caruru em honra de sete meninos, especialmente convidados.



Mas se os festejos são profanos, como os famosos carurus, por que saem das igrejas católicas procissões dos dois mártires, como a da Lapa à Soledade? Nos terreiros dos candomblés se realizam durante todo o dia cerimônias e as mesmas comidas também são esmeradas para que Ibeji sinta, para sua maior glória, a fé dos seus devotos.



Um mês depois, no dia 25 de outubro, as cerimônias se repetem, embora com menos intensidade: comemora-se a festa de São Crispim e Crispiniano, também mabaças e confundidos na crendice popular com Cosme e Damião, cujas imagenzinhas com sua palma, sua pena e seu livro, estão em quase todos os lares da Bahia, de negros ou de brancos, de pobres ou de ricos, que tenham coração para crer, com sua fé inabalável, nos grandes protetores da saúde da raça humana.



VIVA SÃO COSME E SÃO DAMIÃO, VIVA !!!!!!!!!
 MINHA MÃE PARABÉNS PELOS SEUS 71 ANINHOS, SEJA FELIZ


CARURU DE COSME E DAMIÃO
Ingredientes
- 1 kg de quiabos cortado bem miúdo

- 3/4 de xícara (chá) de azeite de dendê
- 2 cebolas raladas

- 100 g de camarões secos (alguns

moídos)

- 2 colheres (sopa) de castanhas e amendoins torrados e

moídos

- 1 colher (chá) de gengibre ralada

- água quente ou caldo de peixe que dê para cozinhar

- sal a gosto

- suco de limão



Modo de Preparo

Leve ao fogo uma panela com dendê, cebolas e camarões.

Frite, por alguns minutos e agregue os demais
ingredientes; sendo que o suco do limão entra no final

aos poucos que é para cortar a baba do quiabo. Misture
de vez em quando, para não pegar no fundo da panela.



Caso fique muito grosso, dilua-o em um pouco de

líquido. Para saber se ficou cozido, observe a

coloração das sementes dos quiabos que deve ficar

lilás.




Um comentário:

  1. voce quer dizer irmã bem mais velha né, mais bem mesmo né??? rsrsrsrs

    ResponderExcluir